quinta-feira, 23 de abril de 2015

Casos de dengue aumentam em Ibiá

Bairro São Benedito tem o maior registro da doença, com 74 casos confirmados.

Já é considerado grave o número de casos de dengue em Ibiá. De acordo com os serviços de Zoonoses da Prefeitura, 154 casos da doença já foram confirmados na cidade somente este ano. Um número bem superior ao registrado no ano passado, quando 58 casos foram confirmados no mesmo período.  

Somente no bairro São Benedito foram registrados 74 casos da doença. Em apenas uma residência desse bairro, três pessoas contraíram a doença em uma mesma semana.

Estes números ainda podem aumentar, já que o município aguarda o resultado de outros 85 casos considerados suspeitos.

Para uma cidade que tem uma população de aproximadamente 25 mil pessoas, os números de casos confirmados até o momento, são considerados bastante elevados.

Apesar do grande trabalho realizado pela Vigilância em Saúde, que contou com a participação da equipe Força-tarefa de Combate a Dengue, do Governo Estadual, novos casos da doença não param de surgir na cidade. Quase a metade dos atendimentos no pronto socorro municipal estão relacionados com a doença.

A equipe que está trabalhando no combate a dengue, tem encontrado muitas dificuldades para realizar suas tarefas. Muitos moradores não estão permitindo a entrada dos agentes em suas residências, ou simplesmente não limpam seus lotes, fato que impossibilita a verificação e eliminação dos focos da doença.

A Prefeitura informou que está intensificando o trabalho de combate a doença, através dos agentes de saúde e de um veículo fumacê, que esta percorrendo todos os bairros da cidade.

SAIBA COMO PREVENIR A DENGUE

Você também pode fazer sua parte e colaborar para evitar que a dengue de propague ainda mais.
A ação mais simples para prevenção da dengue é evitar o nascimento do mosquito, já que não existem vacinas ou medicamentos que combatam a contaminação. Para isso, é preciso eliminar os lugares que eles escolhem para a reprodução.

A regra básica é não deixar a água, principalmente limpa, parada em qualquer tipo de recipiente.
Como a proliferação do mosquito da dengue é rápida, além das iniciativas governamentais, é importantíssimo que a população também colabore para interromper o ciclo de transmissão e contaminação. Para se ter uma ideia, em 45 dias de vida, um único mosquito pode contaminar até 300 pessoas.

Então, a dica é manter recipientes, como caixas d’água, barris, tambores tanques e cisternas, devidamente fechados. E não deixar água parada em locais como: vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, urnas de cemitério, folhas de plantas,  buracos de árvores, além de outros locais em que a água da chuva é coletada ou armazenada.

É bom lembrar que o ovo do mosquito da dengue pode sobreviver até 450 dias, mesmo se o local onde foi depositado o ovo estiver seco. Caso a área receba água novamente, o ovo ficará ativo e pode atingir a fase adulta em um espaço de tempo entre 2 e 3 dias. Por isso é importante eliminar água e lavar os recipientes com água e sabão.

domingo, 12 de abril de 2015

Prefeito de Ibiá pode ser multado pelo TCE

Município não apresentou prestação de contas do ano 2014. Verba do Fundo de Participação dos Municípios deve ser bloqueada.

O prefeito de Ibiá, Hélio Silveira (PP) corre o risco de ser multado pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado), por não apresentar, dentro do prazo determinado pelo Estado, a prestação de contas do município, referente ao ano de 2014.

A divulgação foi feita pelo próprio TCE, na última sexta-feira (10), e além de Ibiá, consta na lista outros 52 municípios mineiros, entre eles, Araxá e Rio Paranaíba, municípios situados na mesma região de Ibiá.

A multa é individual e equivale a 3 mil reais. Além da multa o órgão fará auditorias em 20% dos inadimplentes, selecionados por sorteio público.

De acordo com o Secretário de Fazenda de Ibiá, Damásio Donizete Moraes, a prestação de contas do município de Ibiá, foi enviada dentro do prazo e que no site do TCE já consta o recebimento.

Falta de infraestrutura inviabiliza novos investimentos da Nestlé em Ibiá


A maior indústria de produtos alimentícios do mundo, a multinacional suíça Nestlé, cobra da administração pública de Ibiá, investimentos na infraestrutura do município, para escoar sua produção.

A unidade fabril da Nestlé opera em Ibiá há mais de 50 anos, e desde sua inauguração, em 1964, vem realizando altos investimentos em sua linha de produção, o último deles em 2010, quando a indústria recebeu aportes na ordem de 35 milhões de reais, que foram usados para aumentar sua capacidade de processamento de leite, passando de 600 mil litros/dia, para 900 mil litros/dia.

Hoje a fábrica estuda a possibilidade de fazer novos investimentos em sua unidade, podendo, inclusive, diversificar sua linha de produção, mas a falta de um anel viário, ligando o município até a rodovia BR 262, impossibilita a ampliação da produção, pois o fluxo de caminhões pesados terá um aumento significativo e o tráfego deles por vias urbanas, pode ser inoperante para a fábrica.

Outro problema é a estrutura da ponte sobre o Rio Misericórdia. Em maio de 2012, o DER (Departamento de Estradas e Rodagem) interditou o tráfego na ponte por falta de segurança. Após meses de reforma, a ponte foi liberada, mas com limitação de peso. Problema para muitos, especialmente para Nestlé, que gera um grande fluxo de veículos pesados que utilizam a ponte e que precisa controlar o peso dos caminhões para não ultrapassar o limite de 24 toneladas, impostas pelo D.E.R.

Caso o anel viário não seja construído, ainda que seja remota, existe a possibilidade da Nestlé transferir sua planta de produção para outra localidade, o que acarretaria enormes prejuízos para o município.

Um estudo de construção do anel já foi elaborado, e o investimento para realização da obra deve girar em torno de 18 a 20 milhões de reais.  

Com base eleitoral na região, o deputado estadual Bosco (PT do B), ciente do grande problema, já solicitou empenho do governo estadual, na realização da obra. O pedido foi feito durante uma reunião com o Secretário de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Altamir Rôso, realizada na sede do BDMG, em Belo Horizonte. De acordo com Altamir, o Estado não conta com muitos recursos, mas disse que é possível construir “soluções alternativas”, como, por exemplo, a isenção de ICMS.

A Prefeitura de Ibiá aguarda um posicionamento do governo do Estado a respeito da situação. O prefeito Hélio Silveira (PP) diz que está ciente do problema e que tem total interesse na execução desse projeto.

Atualmente, com os 900 mil litros de leite captados e processados diariamente, a Nestlé de Ibiá, gera aproximadamente, 284 empregos diretos e outros 2 mil indiretos.


quarta-feira, 8 de abril de 2015

Armazém com cerca de 100 toneladas de milho, pega fogo em Ibiá

Falha em secador pode ter sido o motivo do incêndio. Ninguém ficou ferido.
Um armazém com aproximadamente 100 toneladas de milho, se incendiou na madrugada desta quarta-feira (8), no Distrito Industrial de Ibiá.

O acidente aconteceu por volta das 4 horas da madrugada, e a suspeita é que uma falha no sistema de secagem de grãos tenha provocado o incêndio. Uma fagulha teria passado para a área em que estava o milho, dando início ao fogo. A máquina de secagem e cerca de 1.500 sacas de milho ficaram totalmente destruídas. Funcionários do armazém disseram que ainda não é possível contabilizar o valor do prejuízo.

Uma guarnição do Corpo de Bombeiros de Campos Altos compareceu no local do acidente, e após mais de 10 horas de trabalho e o uso de 140 mil litros de água, conseguiram controlar as chamas.
Mesmo após o controle do fogo, militares do Corpo de Bombeiros decidiram ficar  no local por mais algumas horas, realizando o trabalho de resfriamento de outros tonéis.

Há ainda uma grande preocupação da direção do armazém, pois a estrutura metálica de mais de 20 metros de altura, que sustenta o secador, corre sérios riscos de desabar. Um guindaste é aguardado no local e deve ser usado para retirar a estrutura danificada.

O armazém pertence a FB Armazéns Gerais Ltda, e está em Ibiá desde 2011.